Skip to content

A parábola do amigo que chega à meia-noite

Lucas 11: 5-13

E ele lhes disse: “Qual de vocês tem um amigo e quem vai vê-lo à meia-noite e diz:“ Amigo, empresta-me três pães, porque um amigo meu veio a minha casa no caminho? e eu não tenho nada a oferecer a ele “, ele argumenta de dentro:” Não me incomode, a porta está fechada agora; o meu e eu estamos na cama; Eu não posso me levantar para dar a você ”? Digo-te que se ele não se levantar para te dar porque é teu amigo, a não ser pela sua tolice ele se levantará para te dar tudo o que precisas ”.

Reflexão:

Esta parábola é o nosso Senhor Jesus Cristo, quando um dos seus discípulos lhe disse: Senhor, ensina-nos a orar, como também João ensinou aos seus discípulos. Só se encontra nos escritos do Evangelho de Lucas e é gémeo da parábola da viúva e do juiz injusto (Lc 18,1-8), com histórias diversas; seu tema central é o assédio na frase, embora essa palavra segundo a RAE signifique inadequada, chata, chata, é mais voltada para a perseverança desavergonhada, ousadia, insistência ousada.

Jesus Cristo conta a história com três amigos, um deles recebe um amigo de uma viagem à meia-noite, dá-lhe alojamento na sua casa, mas não tem como o alimentar, por isso vai ao amigo do vizinho e pede um empréstimo. três pães, responda: Não me incomode; a porta já está fechada e meus filhos estão comigo na cama; Não posso simplesmente levantar e dar a você? (Algumas traduções não têm o ponto de interrogação no final do versículo 7, mas sim no 6), e embora ele não se levante para lhe dar os pães, porque ele é seu amigo (ele foi sincero), mas ele o fará ao assédio (persistência desavergonhada) Ou porque se irritou com a insistência do vizinho em bater na porta, ou porque não queria que os outros vizinhos percebessem o que estava acontecendo.

Este ensino enfoca que devemos ser perseverantes na oração, Deus é fiel em atendê-los, de acordo com seus propósitos, e é complementado pelos versículos 9-13, que dizem que todo aquele que pede, recebe e busca, encontra e tudo aquele que chamadas. na porta, ele se abre. E embora nesta parábola ele nos mostre o exemplo de um amigo que não se levantou imediatamente a seu pedido de ajuda, ele foi honesto, mas não gentil, e quando lhe deu o pão o fez por causa do assédio do amigo.

Temos um Deus que está disposto a ouvir orações em todos os momentos, não tem horário, está sempre com os ouvidos abertos para receber o clamor de todos os seus filhos que vêm a ele por meio de Cristo. Assim como o versículo 13 diz que nós, sendo maus, damos boas dádivas aos nossos filhos, quanto mais nosso Pai celestial dará o Espírito Santo àqueles que o pedirem?

A levar em consideração nesta reflexão:

  • Nosso Pai é a principal oração feita por nosso Senhor Jesus Cristo. Não é uma oração que deve ser feita religiosa, é uma estrutura dos componentes da oração ao Pai em Cristo Jesus pelo poder do Espírito Santo.
  • Deus nos chama a uma importante oração, perseverança e fé que derramará sua graça, porque deseja o melhor para seus filhos.
  • O Pai Celestial ora por Seus filhos de acordo com Sua vontade (1 João 5: 14-15), Ele não cede às nossas demandas egoístas (Tiago 4: 3).
  • Deus deseja que o rio de água viva que toca nossos corações seja mantido por meio da provisão do Espírito Santo (Lucas 11:13).
  • Parar até o fim, ter fé em Cristo durante todo o caminho da peregrinação cristã, é um desafio que enfrentamos; porque todos os nascidos de Deus conquistam o mundo. E esta é a vitória que venceu o mundo: a nossa fé (1 João 5: 4).