Escreva o que Procura

 

Mateus 6

Posted on

CAPÍTULO 6 (31 d.C.) O ENSINO DE JESUS SOBRE A ESMOLA ENHAM cuidado (um assunto muito sério) de não praticar a vossa Justiça (esmolas) diante dos homens, para serdes vistos por eles (qual é o motivo de nossa esmola?): pois assim não tereis galardão junto de vosso Pai que está nos Céus.

2 Quando, pois, deres esmola (neste caso, dar, e aqui demonstra a necessidade de dar), não faças tocar trombeta diante de ti (não se faça divulgado), como fazem os hipócritas nas Sinagogas e nas ruas, para serem aclamados pelos homens (serem vistos e receberem elogios dos homens). Em verdade vos digo que já receberam sua recompensa (Deus não recompensará tal, nem na Terra nem no Céu).

3 Mas, quando deres esmola (a Justiça, e uma vez mais, proclama a necessidade de dar), não saiba tua mão esquerda o que faz a tua direita (precisamente não teve a intenção de que Sua declaração fora tomada literalmente, mas sim para assinalar a intenção do coração);

4 Para que tua esmola seja dada em segredo (significa que isto se faz de coração ao Senhor , e não para o louvor dos homens), e teu Pai que vê em secreto, Te recompensará publicamente (tanto na Terra como no Céu, quando você chegar ali). O ENSINO DE JESUS SOBRE A ORAÇÃO

5 E, quando orares (a necessidade da oração), não sejas como os hipócritas, porque se comprazem em orar em pé nas Sinagogas e nas esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens (eles o fazem para serem ostentosos). Em verdade vos digo, que já receberam sua recompensa (quer dizer que não haverá recompensa alguma da parte de Deus em nenhuma oportunidade).

6 Mas tu (Crente sincero), quando orares, entra em teu aposento, e, fechada a tua porta, ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai que vê em secreto, Te recompensará em: público (a palavra “aposento” não deve ser tomada literalmente, mas significa que nossa oração não deve ser feita com aparência ostentosa; se fizermos dos interesses de Deus, nossos próprios interesses, estejamos seguros que Ele fará que nossos interesses, sejam Dele Próprio ),

7 E, orando, não useis de vãs repetições, como os Gentios (repetição de certas frases repetidas vezes, até centenas de vezes), pois os mesmos pensam que, por muito falarem, serão ouvidos (eles não serão ouvidos Por Deus).

8 Não vos façais, pois, semelhantes a eles, porque vosso Pai (O Pai Celestial) sabe do que necessitais, antes mesmo de vós Lho pedirdes (Ele é Onisciente, Conhecedor de todas as coisas, passado, presente, e futuro). A ORAÇÃO MODELO

9 Portanto vós orareis assim (precisamente para ser de contraste total à prática pagã; também, deve ser rogado com completa confiança, que o Pai Celestial ouvirá e responderá segundo Sua Vontade): Pai nosso (nossa oração deve ser dirigida para o nosso Pai Celestial, não para Cristo e nem ao Espírito Santo) que estás nos Céus, Santificado seja o Teu Nome (reverenciamos o Seu Nome).

10 Venha o Teu Reino (acontecerá em Plenitude na Segunda Vinda). Seja feita a Tua Vontade, tanto no Céu, como na Terra (a Vontade de Deus é de suprema importância; será realizada na Terra, dando-se início aos Tempos do Reino),

11 O pão nosso de cada dia dá-nos hoje (temos que nos fixar no Senhor para o sustento, tanto o natural como o espiritual).

12 Perdoa-nos as nossas dívidas, como também nós perdoamos aos nossos devedores (a palavra “dívidas” aqui se refere a “transgressões” e “pecados”; Seu perdão para SÃO MATEUS 6:13 nós está apoiado no fato de que primeiro nós perdoamos a outros).

13 E não nos induzas (devido a confiança em si mesmo) em tentação (nos ajude a não ser envolvido em tentação — a idéia é, em minha auto-confiança, em mim mesmo, que provém da carne e não do Espírito; por favor não permita que eu seja envolvido por tentações, porque falharei certamente!), mas livra-nos (a armadilha é mais forte do que o homem pode suportar; só Deus pode nos libertar; Ele o faz pelo Poder do Espírito Santo, segundo nossa Fé em Cristo e a Cruz [Rm. 8:1-2, 11]) do mal (do Maligno, Satanás mesmo); porque Teu é o Reino (esta Terra pertence ao Senhor e não a Satanás; ele é um usurpador), o Poder (Deus tem o Poder para libertar, que Ele o faz, como foi dito antes, por meio da Cruz), e a Glória (a Glória pertence a Deus, e não a Satanás), para sempre (nunca se mudará isto). Amém (esta Palavra expressa uma ratificação solene; na Mente de Deus, o fracasso e a destruição de Satanás e, portanto, todo o mal no mundo, é uma conclusão inevitável)!

14 Porque, se perdoardes aos homens (tem que ser do nível de perdão que Deus dá) as suas ofensas (pecados grandes), também vosso Pai Celestial vos perdoará a vós (o perdão descansa totalmente na Obra Expiatória de Cristo; é um ato de pura Graça).

15 Porém, se, não perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai, não vos perdoará as vossas ofensas (se quisermos que Deus nos perdoe, ao mesmo tempo temos que perdoar a outros; se não, Seu perdão para nós está retido; por conseguinte, tal pessoa se expõe ao perigo de perder sua alma). O ENSINO DE JESUS SOBRE O JEJUM

16 E, quando jejuardes (não é de um tempo fixo), não sede como os hipócritas, que se mostram contristados, desfigurando seus rostos, para que aos homens pareça que jejuam. Em verdade vos digo, que já receberam sua recompensa (muitos na esfera religiosa caem nesta categoria; vivendo para “aparências ostentosas,” para jejuar ou para dar, etc.; o Senhor nunca os recompensará).

17 Mas tu (refere-se a áqueles que são realmente os Filhos de Deus), quando jejuares, unge a cabeça, e lava o rosto (“ungir” e “lavar” eram realmente símbolos de alegria; o oposto de um semblante triste);

18 Para não pareceres aos homens que 1710 jejuas (não deve haver aparência alguma de jejum), e sim a teu Pai (Pai Celestial) que está em oculto; e teu Pai, que vê o que está oculto, te recompensará (abençoará) publicamente (implica em que Deus não era “o Pai” dos Fariseus, e não é “o Pai” de quem segue o exemplo deles), TESOUROS NO CÉU

19 Não ajunteis tesouros na Terra (tudo na Terra é temporário), onde a traça e a ferrugem consomem, e ladrões minam e roubam (se o olho está fixado nos tesouros da Terra, então a vida e o caráter do Crente estarão inundados na escuridão moral);

20 Mas ajuntai tesouros no Céu, onde nem traça e nem ferrugem consomem, e onde ladrões não minam nem roubam;

21 Porque onde estiver o vosso tesouro, aí também estará o vosso coração (os objetivos de um homem determinam seu caráter; se aquele objetivo não for singelo e para o Céu, sendo terreno e vacilante, todas as faculdades e princípios de sua natureza, chegarão a ser uma massa de escuridão; é impossível ter uma lealdade dividida). A CANDEIA

22 A candeia do corpo é o olho (uma figura retórica; Ele diz, com efeito, que a Luz da alma é o espírito); assim que, se teu olho for bom (o espírito do homem deve ter só um objetivo, e isto é Glorificar a Deus), todo o teu corpo terá Luz (se o espírito do homem for único em sua devoção a Deus [no sentido de não estar dividido] então toda a alma será cheia da Luz).

23 Mas, se teu olho for mau, todo teu corpo será tenebroso (se o espírito for mau, a alma inteira será cheia da escuridão). Assim que, se a luz que em ti há é escuridão (não se corresponde à luz, mas sim à luz pervertida), quão grande será tal escuridão! (O estado último está pior que se não houvesse absolutamente luz alguma.)

24 Ninguém pode servir a dois senhor es, porque ou aborrecerá um, e amará o outro ou se dedicará a um, e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom (é simplesmente, pronunciado como, uma impossibilidade; é a devoção total a Deus, a devoção total ao mundo; a palavra, “mamom,” [riquezas”], é tirado da palavra Babilônica “Mimma,” que quer dizer “algo”). CONTRA A PREOCUPAÇÃO E ANSIEDADE

25 Por isso, vos digo: Não vos preocupeis quanto à vossa vida, o que haveis de comer, ou o que haveis de beber; nem quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir (não se preocupem com estas coisas). Não é a vida mais que o alimento, e o corpo mais que a vestimenta? (A vida vale mais que as coisas, e o corpo físico é mais que a roupa com que nos vestimos.)

26 Olhai para as aves do Céu, que não semeiam, nem segam, nem recolhem em celeiros; e vosso Pai Celestial as alimenta. Não sois vós de muito mais valor que elas? (As aves do ar são uma das partes mais pequenas da grande Criação de Deus. Se o Senhor houver provido para elas, certamente, Ele há provido tudo o que Seus Filhos necessitam.)

27 E quem de vós, por mais ansioso que esteja (preocupado, e, muito preocupado), poderá acrescentar à sua estatura um côvado? (O que vai acontecer não pode ser mudado pela preocupação; e se não acontecer, não há nada de que preocupar-se. Para Seus Filhos, o Senhor sempre provê o essencial.)

28 E, quanto (sobre o) ao vestuário (a roupa), por que andais ansiosos? (a preocupação) Olhai para os lírios do campo, como eles crescem; não trabalham, nem fiam (o homem cultiva o linho [trabalho duro] a mulher o tece; a intenção, é proclamar o fato de que a beleza do lírio, não tem nada a ver com o seu esforço, e sim com a provisão completa do Criador);

29 Mas Vos digo, que nem mesmo Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como um deles (diz-se que os lírios de Israel tinham um corante muito brilhante, sobretudo o Lírio Huleh de cor púrpura e branco encontrado em Nazaré).

30 E, se (posto que) Deus assim veste a erva do campo (demonstra a garantia de Deus), que hoje existe, e amanhã é arremessada ao forno (mostra quão insignificante é esta parte de Sua Criação, e ainda, quanto cuidado Ele tem nisso), não fará muito mais a vós, homens de pouca fé? (aponta-nos o motivo da nossa carência: A “pouca fé”; porque Deus é Fiel, podendo-se confiar nele plenamente, porque “certamente levará a cabo Seus compromissos que nos tem feito em Cristo [1 Co. 1:9; 10:13; IJ Co. 1:18; 1 Ts. 5:24; II Ts. 3:3; etc.].)

31 Não andeis, pois, inquietos (não se preocupe), dizendo: O que comeremos, ou que beberemos, ou com o que nos cobriremos? (O Texto Grego realmente significa, que, até um pensamento ansioso é indevido. Tal ansiedade demonstra a não confiança no Senhor .)

32 (Porque todas estas coisas os Gentios procuram.) (os Gentios não tinham parte alguma no Convênio de Deus com Israel; portanto, eles não tinham participação na economia de Deus, e, basicamente, tinham que se defender) E vosso Pai Celestial bem sabe que necessitais de todas estas coisas (a frase expressa o contraste entre os que não conhecem o Senhor e aqueles que O conhecem; se vivermos para Ele, sempre procurando Sua Vontade, temos a garantia na Sua Palavra, que Ele suprirá cada necessidade; Que tal parece? Esta Palavra de Deus é bastante boa? Penso que sim!).

33 Mas procurai buscar primeiro o Reino de Deus, e a sua Justiça (dá “a condição” para as Bênçãos de Deus; Seus interesses devem estar por “primeiros”), e todas estas coisas vos serão acrescentadas (é a “garantia” da Provisão de Deus).

34 Não estejais, pois, inquietos pelo dia de amanhã (não se preocupe com o futuro), porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo (se refere a um Versículo anterior, o 27). Basta a cada dia o seu mal (significa que nós devemos tratar as dificuldades diárias com a Fé, confiando que as dificuldades presentes não se converterão em dificuldades ainda maiores; temos a segurança de Deus que elas não vão se agravar mais, se realmente crermos).

Nota: A explicação do versículo está entre parênteses (), inicia a explicação (explicação), continua o próximo verso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *