Escreva o que Procura

 

1 Reis Capítulos

Posted on

1 Reis

Judá e Israel são considerados independentemente e completamente analisados. O livro de 1 Reis começa com o reinado de Salomão e termina com o profeta Elias. A diferença entre os dois dá o tom do livro de acordo com muitos exegetas. Este livro é a sequência de 1 e 2 Samuel e começa seguindo a sequência do surgimento do reinado de Salomão após a morte de Davi. A história começa com um reino unido, mas termina com uma nação dividida em 2 reinos, conhecidos como Judá e Israel.

Livro de 1 ReisLivro de 1 Reis
1 Reis 11 Reis 12
1 Reis 21 Reis 13
1 Reis 31 Reis 14
1 Reis 41 Reis 15
1 Reis 51 Reis 16
1 Reis 61 Reis 17
1 Reis 71 Reis 18
1 Reis 81 Reis 19
1 Reis 91 Reis 20
1 Reis 101 Reis 21
1 Reis 111 Reis 22

Sobre o que é o livro de 1 reis?

Os livros de Samuel apresentam a instituição e o estabelecimento da monarquia, como um processo ascendente e cheio de promessas para Israel. Os livros de 1 de REYES – que a princípio formavam uma única obra, depois dividida em duas partes – continuam essa história, mas traçam uma parábola descendente. Aqui a história começa com o reinado de Salomão, que foi a etapa mais brilhante de todo o período monárquico, e chega ao momento em que o Povo de Deus viveu sua experiência mais dramática e desconcertante: a queda de Jerusalém, o fim da dinastia davídica e deportação para a Babilônia.

Esse desfecho trágico estava se formando gradualmente. Após a morte de Salomão, o reino de Judá permanece fiel aos reis da linhagem davídica e ao Templo de Jerusalém. Mas as tribos do norte, profundamente desiludidas com o tratamento recebido nos tempos salomônicos, separam-se de Judá e constituem um estado independente, doravante denominado “Israel”. Durante alguns séculos, os dois reinos separados conseguiram preservar sua autonomia política, devido ao eclipse momentâneo dos grandes impérios do Oriente Antigo. Mas a situação muda radicalmente quando a Assíria começa a desenvolver suas campanhas expansionistas. No ano 721 a. C., Samaría cai nas mãos dos assírios, e assim o reino de Israel desaparece.

O reino de Judá sobrevive à catástrofe, mas apenas por algum tempo. Em 587, as tropas de Nabucodonosor, rei da Babilônia – que se tornou o novo árbitro da situação, após a derrota da Assíria – invadiram Jerusalém, arrasaram o Templo e levaram cativa boa parte da população de Judá. Os livros de 1 Reis receberam sua redação final quando a memória deste último evento ainda estava muito viva. Na composição da obra foram utilizadas várias fontes, entre as quais se destacam os relatórios do arquivo real. Mas, pelo relato dos fatosO que mais importa não é a história em si, mas o ensinamento que dela deve ser extraído, como forma de superar a crise. É por isso que, desde as primeiras páginas, começa a surgir a pergunta implícita em toda a narrativa: Por que o Senhor rejeitou o seu Povo, espalhando-o entre as nações pagãs? Existe um remédio para a catástrofe ou o veredicto de condenação é irrevogável?

Para responder a essa pergunta dolorosa, o autor desses livros segue a história de Israel passo a passo nos tempos da monarquia e confronta a conduta dos reis com os ensinamentos de Deuteronômio.. Segundo a doutrina deuteronômica, o Senhor escolheu livremente Israel e os comprometeu a viver de acordo com sua Lei. Assim, deixou aberto diante de si um duplo caminho: o da fidelidade, que leva à vida, e o da desobediência, que termina em morte. Mas todos os 1 reis de Israel e quase todos de Judá, em vez de liderar o Povo do Senhor no caminho da fidelidade, os levaram à própria ruína, tolerando e até encorajando a adoração de Baal e dos outros. O fracasso da monarquia, após seu início promissor na época de Davi, mostra que a raiz de todo o mal está em se afastar do Deus verdadeiro.