Skip to content

cozinhar

Geralmente a carne não fazia parte da alimentação entre os judeus. Poucos animais eram mortos para esse fim, exceto em ocasiões de hospitalidade e de festividade. A goela do animal, fosse ela de cabrito, de cordeiro, ou de vitela, era cortada para que o sangue pudesse correr todo para fora (Lv 7.26). Depois de esfolado, estava pronto para se assar ou cozer. Quando se queria assar o animal, punha-se inteiro na assadeira (Êx 12.46), que era colocada sobre lume de lenha (is 44.16) ou metida num forno, que não era mais que um buraco cavado na terra, bem aquecido, tendo por cima uma tampa. Se era carne cozida o que se pretendia, nesse caso empregava-se o sistema comum de cozinhar, sendo o animal cortado em pedaços, que eram lançados num caldeirão cheio de água ou de leite (Êx 12.9 – 23.19). Em lume de lenha era, então, preparada esta comida – de quando em quando era removida a escuma que se formava à superfície, deitando-se no devido tempo sal e diversas especiarias. A carne e o caldo eram servidos separadamente (Jz 6.19), usando-se o caldo com pão asmo – havia, também, molho de manteiga para nele se ensoparem bocados de pão (Gn 18.8). Comumente era servida uma sopa de vegetais (Gn 25.29 – 2 Rs 4.38). os utensílios necessários para cozinhar eram diversos, havendo duas ou mais panelas (Lv 11.35), um caldeirão (1 Sm 2.14), um garfo ou fateixa para pendurar carne, um grande vaso de metal aberto, semelhante a uma caldeira de cozer peixe, o qual servia, também, para lavagens ou para dele comer (Êx 16.3).