Escreva o que Procura

 

1 Crônicas Capítulos

Posted on

1 Crônicas

O Livro de 1 Crônicas foi provavelmente escrito entre 450 e 425 AC.

Livro de 1 CrônicasLivro de 1 Crônicas
1 Crônicas 11 Crônicas 16
1 Crônicas 21 Crônicas 17
1 Crônicas 31 Crônicas 18
1 Crônicas 41 Crônicas 19
1 Crônicas 51 Crônicas 20
1 Crônicas 61 Crônicas 21
1 Crônicas 71 Crônicas 22
1 Crônicas 81 Crônicas 23
1 Crônicas 91 Crônicas 24
1 Crônicas 101 Crônicas 25
1 Crônicas 111 Crônicas 26
1 Crônicas 121 Crônicas 27
1 Crônicas 131 Crônicas 28
1 Crônicas 141 Crônicas 29
1 Crônicas 15

O que é o Livro Premium das Crônicas?

Os livros de 1 Crônicas e 2 Crônicas, em sua maior parte, cobrem quase as mesmas informações de 1 e 2 Samuel e 1 e 2 Reis . 1 Crônicas e 2 Crônicas enfocam principalmente o aspecto do sacerdócio daquele período. O livro de 1 Crônicas foi escrito após o exílio para ajudar aqueles que voltaram a Israel a entender como adorar a Deus. A história gira em torno do reino do sul, as tribos de Judá, Benjamin e Levi. Essas tribos tendiam a ser mais fiéis a Deus.

Após a queda de Jerusalém, em 587 AC. C., boa parte da população de Judá foi deportada para a Babilônia, até que Ciro, o Persa, autorizou o retorno dos exilados ao seu país de origem. Assim começou uma nova era para Israel, e os retornados tiveram que empreender a árdua tarefa de reconstruir a comunidade nacional e religiosa. Esta grave crise foi um verdadeiro desafio para a comunidade judaica. O profeta Natã prometeu a Davi uma dinastia eterna. Mas que valor teria essa promessa, se a monarquia já não fosse mais do que uma memória do passado? Outros profetas anunciaram a Israel um futuro glorioso. Como dar crédito a esses anúncios nas atuais condições miseráveis?

O peso dessas questões exigia uma releitura de toda a história de Israel. Dessa necessidade surgiram os livros de 1 CRÔNICAS, que na verdade são uma única obra e formam uma unidade com os livros de Esdras e Neemias. Seu autor foi um levita de Jerusalém, que escreveu por volta de 300 AC. Esta nova síntese histórica se estende de Adão ao retorno a Jerusalém do “Resto” de Judá. Mas apenas dois estágios da história bíblica são tratados com alguma extensão: o reinado de Davi e sua dinastia e a restauração da comunidade judaica. Os cinquenta anos do banimento são esquecidos, e apenas algumas listas genealógicas cobrem os séculos desde o início da humanidade até Davi.
Segundo o cronista, Deus confiou à dinastia davídica o trono de Jerusalém, que é “o trono da realeza do Senhor sobre Israel” (1 Crônicas 28.5).

Durante os reinados de Davi e Salomão, o Reino de Deus teve seu cumprimento mais perfeito. Mas os sucessores desses dois primeiros reis não viveram à altura da missão que o Senhor lhes havia confiado. Apenas três deles – Josafá, Ezequias e Josias – seguiram os caminhos de Davi. Os outros, apesar das advertências urgentes dos Profetas, desviaram-se desta linha de conduta, mergulhando Israel na ruína. A destruição de Jerusalém e do Templo, o desaparecimento da dinastia davídica e a deportação para a Babilônia foram a justa punição por essas infidelidades, pois para o Cronista não há pecado sem punição. Mas quando tudo parecia perdido, o Senhor levantou um rei pagão para libertar os deportados e garantir a continuidade do plano divino para Israel.